15 mar 2017
0

Aceite que o outro é livre

Já ouviu aquela expressão que diz que quando gostamos muito de alguém, “queremos colocar em um potinho”? Parece que é bem assim mesmo. Queremos saber dos passos dessa pessoa, se está conversando com outras… E assim, surgem os sentimentos de ciúme e posse que, em excesso destroem qualquer relacionamento.

Para evitar que isso aconteça, precisamos de colocar em prática alguns conceitos.

Amor-próprio

Quando a gente passa a se aceitar e gostar da gente como é, passamos a gostar também de fazer passeios sozinhos, ou mesmo, ficar a toa só em nossa companhia. Isso é fundamental para que possamos nos relacionar com o outro. Só a partir do momento em que você se ama é que poderá amar realmente alguém.

O outro é livre

Outra coisa dificílima, mas necessária, é entender que o outro precisa ter o seu próprio espaço. Não podemos limitar com quem ele(a) conversa ou o que faz. Temos que ter em mente que, se está conosco, é porque nos ama. É inútil tentar buscar provas o tempo todo de que o outro está tentando trair ou que quer terminar. Isso só gera uma angústia e cria pensamentos negativos que, no final, 99,9% não tem fundamento algum. Será mesmo que vale a pena focar em coisas que nem aconteceram ao invés de curtir os momentos a dois no presente? Acho que não, viu?

Que cresçam juntos

A partir do momento em que ambos têm liberdade em uma relação, fica mais fácil trocar ideias e fazer coisas em que os dois cresçam individualmente e como casal. Se você sabe que pode viajar a trabalho que o outro não vai implicar, vai se sentir melhor para buscar novas oportunidades. E, se ele(a) sabe, que pode ir se encontrar com os amigos que você não vai ficar bravo(a), vai se sentir no melhor relacionamento possível. Afinal de contas, um namoro, casamento ou afim só é bom quando somos livres para ser quem a gente é de verdade e se satisfazer em todos os setores de nossas vidas.

Comente
16 fev 2017
0

O poder do amor próprio

Nada faz mais bem pra gente do que o amor-próprio. É a partir dele que conseguimos ver quem a gente é de verdade. Aprendemos a não nos comparar com os outros e entendemos que só uma pessoa pode ser dono(a) da nossa felicidade: nós mesmos!

Quando você se ama, não aceita se envolver com quem te desrespeita, não aceita um amor mais ou menos e não se priva do que te faz feliz por conta dos outros.

amor-próprio

Ao ter amor por você, vai aprender que pode até se esforçar pelos outros, mas que não precisa se sacrificar por isso. Por que? Porque você é a pessoa mais importante da sua vida e não precisa sofrer por nada neste mundo. Sua missão é se sentir bem a maior parte do tempo possível e buscar a plenitude.

É claro que não é fácil se sentir tão amado por você mesmo(a). Haverá dias em que estará só o pó. E também vão ter dias que vai se olhar no espelho e dizer: “Uau!”.

Sempre que estiver triste e precisar de uma ajudinha para se sentir bem com você e com os outros à sua volta, lembre-se dos seguintes conceitos:

  • Nem tudo está ao seu controle. Relaxe!
  • Nada vale a sua paz;
  • Se alguém não tem um sentimento recíproco por você, se afaste. Você não pode brigar pelos sentimentos que não são seus e também não pode obrigar ninguém a gostar de ti;
  • Todos os dias lembre-se do quanto é especial;
  • É preciso lembrar também que, todos são especiais, por isso, nunca se ache superior;
  • Não permita que ninguém te trate mal porque você o ama;
  • Se algo na sua aparência te incomoda muito, mude. Mas mude por você! Somente você vive em sua pele 24 horas/7 dias na semana. Pode ser que as pessoas nem tenham visto os defeitos que afirma ter;
  • Trate-se com amor ♥.
Comente
6 fev 2017
0

Entenda o que é o ego na espiritualidade

Quando a gente começa a estudar sobre espiritualidade e as emoções, muita coisa do que lemos em livros voltados para o assunto e assistimos em vídeos cita o “Ego”. Para trabalhar o autoconhecimento, é importante saber o que significa este termo.

ego

Ego

O Ego tem a ver com a imagem que cada um de nós tem de si mesmo e se espelha nos outros, pois foi criado em nós por meio do ambiente, da nossa sociedade, dos nossos pais e parentes que fizeram parte de nossa vida quando éramos crianças. Pode-se dizer que ele determina a nossa personalidade. É a partir dele que conseguimos balancear o que temos e o que queremos. Todo o nosso comportamento é moldado e resulta do Ego.

Com o passar dos anos, acreditamos que esse “Ego” é o nosso verdadeiro “Eu”, o que não é real. É como se tivéssemos duas personalidades: uma que foi formada de acordo com as nossas vivências e outra, que é quem somos de verdade.

O nosso verdadeiro “Eu”, no entanto, foi feito para estar sempre feliz, enquanto o “Ego” encontra problemas a todo tempo para ficarmos tristes ou mal-humorados. O nosso “Ego” sofre por causa da inveja ao ver que uma pessoa tem algo que não possuímos, por conta de ciúme e por vários outros motivos. Por isso, temos sempre que trabalhar para “silenciar” esse “Ego” e conseguir ver as coisas com clareza. Por exemplo, o outro pode ter mais do que você, mas você também tem as suas oportunidades na vida; o outro pode ser feliz ao lado de outra pessoa, mas você não precisa sentir ciúmes por conta disso.

eu x ego

Já percebeu o tanto que esse assunto é complexo? Por isso, este não será o último texto sobre ele. Como um post inicial, queria propor alguns exercícios que vi no Portal2013BR e que nos ajudarão a buscar a felicidade plena:

  • Pare de se sentir ofendido: não assuma nada como pessoal. O que os outros dizem ou fazem é uma projeção de sua realidade através de seu próprio falso eu. Muitas vezes as pessoas conscientemente dizem o oposto do que o seu subconsciente está pensando. O nosso subconsciente segue a regra de ouro e à medida que nós seguirmos mais o nosso subconsciente ou EU verdadeiro em nossa realidade, começamos a abster-nos de dizer coisas para os outros que possam ofendê-los também.
  • Deixe de lado a necessidade de vencer: embora os jogos e desafios às vezes possam ter uma influência positiva sobre o nosso progresso, estamos no processo de deixar ir os jogos de 3ª dimensão, à medida que avançamos em direção a uma forma de vida mais elevada, onde não há concorrência.
  • Deixe de lado a necessidade de estar certo: o certo de uma pessoa não é necessariamente o certo de outra pessoa. Todos nós vemos as coisas de forma diferente. Quando você deixar ir a necessidade de provar que você está certo, você reduz a oportunidade para o atrito e o argumento,. Isto não significa tornar-se passivo ou parar em pé diante da sua verdade. Pelo contrário, é melhor se afastar de situações de baixa vibração e se concentrar em manter a sua vibração elevada ficando na sua verdade, escolhendo suas batalhas com sabedoria, esta é a chave para o avanço.
  • Deixe de lado a necessidade de ser superior: somos todos uma centelha do Criador tendo uma experiência individual. Alguns estão em um caminho mais rápido para a iluminação do que os outros, mas não devemos julgar aqueles que tomam um caminho diferente, pois todos os caminhos convergem para o mesmo destino, nas dimensões mais elevadas ainda mantemos a nossa individualidade pois sabemos que todos nós estamos nadando no mar de amor que compõe o todo. A superioridade é muitas vezes confundida com ter conhecimento ou experiência e é um dos padrões que ocasionaram a queda das civilizações ao longo dos tempos.
  • Deixe de lado a necessidade de ter mais: o materialismo movido pelo ego é a queda da humanidade e é alimentado por aqueles que desejam manter-nos em dívida como escravos de um sistema econômico, quando você percebe que essas coisas não preenchem o interior do buraco negro, você deixa de ficar obcecado pela necessidade na qual eles tentam direcioná-lo. Um equilíbrio é somente ter coisas que são necessárias para o conforto. Perder a obsessão ou o apego emocional a elas é o caminho mais elevado. Ao se livrar da desordem desnecessária na sua vida você abre espaço dentro de si mesmo para a expansão.
  • Deixe de se identificar com suas realizações: muitas pessoas temem olhar para dentro de si e descobrir quem realmente são além do seu título no trabalho ou da situação familiar. Isto leva à crise na vida quando chega o tempo da aposentadoria ou quando as crianças vão para a faculdade. Não há diploma universitário, cargo, status social, ou prêmio que irá ajudá-lo no processo de ascensão.
  • Deixe de lado a sua reputação: o que as outras pessoas pensam de você não é da sua conta. Algumas pessoas ficam tão obcecadas com a forma como são vistas pelos outros que se perdem em identidades falsas, torna-se uma tarefa árdua tentar lembrar se eles são uma ou outra pessoa, ser verdadeiro é a melhor maneira de mostrar amor por si mesmo. Algumas pessoas têm muito o que compartilhar com os outros sobre o seu processo de despertar ou sobre contato extraterrestre, mas seu ego não permite que compartilhem com medo de arruinar sua reputação.
Comente
Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 36 37

DONA ONÇA é um blog pessoal, que fala de assuntos diversos como moda, comportamento, cutura, etc.

Todas as imagens que aparecem no site são de autoria própria, ou reproduções de outros sites e DONA ONÇA não reivindica nenhum crédito para si, a não ser que especificado. Se você (ou sua empresa) possui os direitos de alguma imagem e não quer que ela apareça no DONA ONÇA favor entre em contato e ela será prontamente removida.