17 ago 2017
0

Benefícios psicológicos dos exercícios

Não bastam as inúmeras vantagens para o corpo, também há muitos benefícios psicológicos dos exercícios. Todos eles fazem com que o dia a dia do praticante se torne mais agradável e também, ajudam para que ele tenha menos motivos para reclamar. Veja abaixo alguns deles:

benefícios psicológicos dos exercícios

1) Libera Endorfina

Ao praticar qualquer atividade física, o corpo libera substâncias químicas que produzem sentimentos de felicidade e euforia, como a endorfina. Isso ajuda a diminuir a ansiedade e até a depressão. Bastam 30 minutos por dia para você sentir as mudanças em seu dia a dia;

2) Autoestima

Ao perceber os resultados causados pelos exercícios, automaticamente aumentará a percepção positiva que o indivíduo tem de si mesmo. Isso ajuda a levantar a autoestima e aumentar o amor-próprio. Vai querer até se olhar mais no espelho depois disso! 😀

exercícios

3) Memória de elefante

Após iniciar a vida fitness, sua memória e sua capacidade de aprender também melhoram, pois as atividades aumentam a produção de algumas células do hipocampo, que são responsáveis pela memorização e pela aprendizagem;

5) Mais neurônios

Com o passar do tempo, perdemos parte dos neurônios, mas por meio dos exercícios, o corpo produz mais e aumenta a conexão entre eles. Chamamos isso de neurogênese. Através desse aumento, também conseguimos aprender mais;

6) Produtividade em alta

Pessoas ativas são mais produtivas que sedentárias. Essa afirmação é possível, pois os primeiros tendem a ter mais energia e menos sonolência ou desatenção no trabalho;

7) Relações sociais

Quando você frequenta uma academia, ou mesmo, se exercita na rua, acaba convivendo com mais pessoas, o que aumenta o seu círculo social. E, todos sabem o poder de uma amizade para fazer com que o indivíduo se sinta mais acolhido e confiante.

E aí, gostou de conhecer os benefícios psicológicos dos exercícios? Então, aproveite e comece já! Pode ser musculação, funcional, corrida e até mesmo uma caminhada. Não importa! O que vale mesmo é se mexer e aproveitar todas as vantagens geradas por essa mudança de hábitos. 🙂

Veja também: Desculpas para fazer exercícios

Comente
3 ago 2017
1

Desculpas para fazer exercícios

Normalmente, a gente ouve um tanto de desculpas para não fazer exercícios. Costumam ser as seguintes: “está muito frio”, “está muito quente”, “prefiro dormir”, “não tenho tempo”, “não tenho disposição”, “não nasci pra isso”, “não gosto de nenhuma atividade”, “sinto dor em tal parte do corpo”… Pensando nisso, resolvi fazer um post para responder cada um desses motivos e mostrar que, é possível, sim, contornar cada um deles e investir em uma qualidade de vida melhor. Vamos lá!

desculpas para fazer exercícios

“está muito frio”:

Você sabia que seu corpo queima mais calorias em épocas frias? É que, ele precisa de mais energia para manter sua temperatura corporal. Então, se você malhar, vai eliminar mais calorias ainda.

Outro ponto relacionado a isso é que, eu sei o quanto é difícil deixar um ambiente quentinho e ir para a academia ou praticar alguma atividade ao ar livre. Todo mundo que faz exercícios passa por isso! Mas a sensação de vencer essa barreira e se exercitar é ótima! Quase uma vitória!

Para te incentivar, no inverno vale deixar a natação de lado, por exemplo, e investir em atividades em locais fechados. Ou, se preferir as modalidades praticadas em parques, vá em horários em que haja sol.

“está muito quente”:

Pratique exercícios na sombra, hidrate-se bastante e procure atividades feitas na água, como natação, stand-up paddle e afins. Você vai cuidar do corpo, se refrescar e ainda, se divertir muito!

“prefiro dormir”:

Dormir é bom demais! Eu sei! Tem horas que manter a preguiça é a coisa mais gostosa do mundo. Só não deixe que isso vire um hábito. Estabeleça horários para dormir e horários para pular da cama e fazer exercícios. Afinal, ninguém precisa dormir mais de 10 horas por dia se já passou da adolescência. Confira aqui as horas necessárias de sono para cada idade.

“não tenho tempo”:

Ahh, tem sim! Não é possível que, em 24 horas, você não tenha meia horinha por dia para fazer qualquer coisa. Vale descer do ônibus um ponto antes para caminhar um pouco mais, praticar uma corridinha após o trabalho, aproveitar parte da hora do almoço para ir à academia e usar algum tempo do fim de semana para subir escadas no parque, etc.

Fora que, há aplicativos que te ajudam a praticar atividades em casa! Veja abaixo alguns exemplos:

Nike Training

BTFit

“não tenho disposição”:

Ter vontade de praticar exercícios a princípio é difícil mesmo. Raramente bate uma vontade louca de fazer algo. Tudo é hábito. Você tem que ter um pouquinho de força de vontade no começo e depois, flui. Vai chegar um momento em que você vai sentir saudade de ir à academia, se precisar faltar um dia.

Tente fazer um teste por um mês pelo menos. É o tempo necessário para o nosso cérebro criar um hábito.

“não nasci pra isso”:

Nasceu sim! Lembra de quando você era criança e corria para lá e para cá, deixando os pais loucos? E queria brincar de pega-pega, esconde-esconde, andar de patins e tudo mais que movimentava o corpitcho? Então… É o natural do ser humano. Gostamos de nos mexer e mais do que isso, precisamos de nos manter em movimento.

Em algum momento da pré-adolescência, da adolescência ou da idade adulta perdemos o costume de nos exercitar, mas sempre é tempo de recuperá-lo.

“não gosto de nenhuma atividade”:

Vai dizer que você já testou TODAS as modalidades existentes? Me desculpe, mas eu duvido. Há funcional, musculação, spinning, dança, balé fitness, surf, corrida, caminhada, crossfit, boxe, muay thai, judô, hiit, bike, patinação, skate, futebol, vôlei, peteca e mais uma infinidade de exercícios para você tentar.

A regra é clara: se não tentou todas, não pode dizer que não gosta de nada. 😉

“sinto dor em tal parte do corpo”

Vá ao médico e descubra a causa dessa dor e depois, invista em tratamento. Não é normal, nem legal sentir dor. E, muitas vezes, os exercícios podem ser a salvação. No meu caso mesmo, foi assim. Morria com dores nos joelhos, mal conseguia subir escadas por conta de algumas fisgadas que eu sentia. Fiz uma consulta e o médico me disse que era culpa do sedentarismo.

E então, tem mais desculpas? Espero que não! 🙂 Brincadeiras à parte! Se exercitar só vai te fazer bem. Cuide-se!

Comente
19 jul 2017
0

Tire suas dúvidas sobre meditação

A meditação tem se tornado cada vez mais comum no Ocidente, mas ainda passa longe da valorização da prática no Oriente. Muitos por aqui ainda não têm conhecimento de como meditar e dos benefícios que isso traz para o corpo e a mente. Por isso, resolvi conversar com a Olga Durães – Instrutora de meditação ( Insta: @em.meditacao ) – para esclarecer as principais dúvidas. Confira abaixo:

meditação

Quanto tempo é necessário para meditar?

O tempo de meditação para quem está começando deve ser razoável, algo que não seja impossível de cumprir. Tem um programa de mindfulness que fala sobre fazer 3 paradas durante o dia de 3 min cada. Após se habituar, a pessoa pode aumentar para mais tempo.

O ideal mesmo, em relação ao tempo, é chegar pelo menos aos 20min para atingir os benefícios. Comece com 3 min e vá aumentando gradativamente.

É preciso ter um local especial para praticar?

Sim, é indicado. O espaço deve ser específico para meditar, não sendo onde você dorme, come e vê TV, pois, se você faz a meditação em seu quarto, pode ser que você se sinta sonolenta(o), na cozinha pode sentir cheiro de comida e desencadear pensamentos relacionados à alimentação. Já na TV, você pode se lembrar de algum programa.

Não consigo “parar de pensar” ao meditar. Há algum truque?

Nossa mente foi feita para pensar mesmo, como se fosse um macaquinho, pulando de galho em galho (pensamento em pensamento), e com a meditação, esse macaquinho foca em apenas uma coisa. No começo, não é necessário se preocupar tanto. Apenas relaxar. Você pode focar na respiração, em algum mantra…

Meditação guiada ou em silêncio, qual é melhor?

Como a nossa cultura ocidental é diferente da oriental, as pessoas podem não entender que você está meditando em locais públicos. O que é comum no Japão, por exemplo. Lá há pessoas meditando em praças, no ônibus, etc. Por isso, talvez seja importante no começo, que haja um instrutor guiando. Após um tempo, você pode se sentir mais à vontade para meditar sozinha(o). Mas isso vai de cada um.

Quais os principais benefícios da meditação?

Em relação aos benefícios, ao pesquisar no Google você encontra vários. Seguem alguns que considero como principais:

  • Traz profunda paz interior
  • Melhora a atividade cerebral
  • Aumenta a concentração
  • Aumenta a inteligência
  • Fortalece o sistema imunológico
  • Melhora a memória
  • Desenvolve a compaixão consigo e com os outros
  • Diminui dor crônica
  • Desenvolve uma mente mais criativa
  • Retarda o processo de envelhecimento

E então, gostou dos esclarecimentos? Tem mais alguma dúvida? Divida com a gente 🙂

Veja mais sobre meditação aqui!

Comente

DONA ONÇA é um blog pessoal, que fala de assuntos diversos como moda, comportamento, cutura, etc.

Todas as imagens que aparecem no site são de autoria própria, ou reproduções de outros sites e DONA ONÇA não reivindica nenhum crédito para si, a não ser que especificado. Se você (ou sua empresa) possui os direitos de alguma imagem e não quer que ela apareça no DONA ONÇA favor entre em contato e ela será prontamente removida.