31 maio 2011
15

Subindo a escada!

Às vezes, eu sinto que a carreira profissional poderia ser analisada como a atividade de subir uma escada. Degrau por degrau vamos alcançando o que almejamos. Tem horas que a gente se cansa, senta e para para descansar. Não dá vontade de fazer nada! Poderia até dizer que a gente quer jogar tudo para o alto, ir morar em uma ilha e viver de água de coco, sol e mar. Em outros momentos, ganhamos fôlego. Corremos, fazemos cursos, trabalhamos com todo o prazer do mundo!

Mas, penso que essa analogia toda serve para nos ajudar a ver uma lição. Quando começamos a subir uma escada, desejamos, obviamente, chegar em algum lugar. Mas por que será que muitos desistem no meio do caminho? Tem gente que, quando está quase lá, resolve mudar de rumo e desvia o caminho. Vai para outra escada. Isso pode ser bom (desde que você não tenha mudado por medo de seguir adiante). Às vezes, você estava indo para o lugar errado. A vida nos dá sempre uma oportunidade de tentar de novo. Basta a gente analisar bem se vale a pena ou não.

Alguns, simplesmente, ficam paralisados! Não sobem nem voltam. Ficam ali, acomodados no emprego, sem se atualizar, enfim, esperando a aposentadoria.


Por fim, há aqueles, que são os que eu mais admiro e desejo ser igual. E por que não? Desejo que vocês também sejam assim. Falo daqueles que lutam por seus ideais, que se cansam sim, de vez em quando, pois são humanos e sofrem, ficam tristes, passam por decepções… mas o melhor, não desistem! Eles podem até estar em um emprego desagradável, ou quem sabe, até desempregados, mas estão sempre à procura do melhor. Querem aprender com os outros, se esforçam para estudar, praticar o que foi aprendido… enfim, lutam todos os dias!

Sim, eu sei que não é fácil ter essa determinação toda. E foi, justamente, por isso que escrevi que é uma luta diária. Ninguém vence sem buscar o autoconhecimento, sem querer saber quais são os seus talentos, sem se esforçar para melhorar a cada dia… Ok, têm aqueles sortudos que ganham na Megasena. Mas, gente, isso é um caso raro. Até podemos fazer as nossas apostas de vez em quando, mas não podemos ficar só nisso, né?

Admiro ainda os que vencem sem passar por cima de ninguém, que são honestos e éticos com os concorrentes, que sabem valorizar os que os ajudaram.

Então, desejo uma boa sorte a todas nós para que consigamos chegar ao topo de nossas escadas, felizes e realizadas. Lembrando que isso não está ligado somente à carreira, mas a tudo aquilo que desejamos para as nossas vidas.

 


Post's relacionados

Deixe o seu comentário!

15 Comentários

  1. Tatiana Canto disse:

    Vc tem razão, gostei da comparação!
    Bjs,Tati
    http://loveshoesblog.wordpress.com
    @loveshoesblog

  2. Luciana Caram disse:

    Muito bom texto, Carol!

  3. Adorei, Carol!
    Minha escada tá díficil mas a gente chega lá né?rs
    Bjos!

    • Blog Dona Onça disse:

      A minha também…estou lenta
      na subida kkk mas acho que é por
      que somos novas também e queremos
      que as coisas aconteçam muito rápido.
      Isso atrapalha um pouco…

  4. Carol, adorei o texto!
    Minha tia diz exatamente isso: é preciso subir degrau por degrau para chegar ao topo, senão vc corre o risco de tropeça e cair…

    Beijos

  5. Deise Gomes disse:

    Muito bom seu texto, a mais pura verdade e tbm muito inspirador.
    “Admiro ainda os que vencem sem passar por cima de ninguém, que são honestos e éticos com os concorrentes, que sabem valorizar os que os ajudaram.” – Concordo plenamente e aplico isso em minha vida!
    Bjoks Carol

  6. Sabrina disse:

    Adorei, Carol! Felicidades para vc!!

  7. Texto lindo Carol, e tudo verdade!

DONA ONÇA é um blog pessoal, que fala de assuntos diversos como moda, comportamento, cutura, etc.

Todas as imagens que aparecem no site são de autoria própria, ou reproduções de outros sites e DONA ONÇA não reivindica nenhum crédito para si, a não ser que especificado. Se você (ou sua empresa) possui os direitos de alguma imagem e não quer que ela apareça no DONA ONÇA favor entre em contato e ela será prontamente removida.